Fetiche, Auto-Indução, Estigma e Rôleplay

por

Peter-R. Koenig

Este é um esboço resumido e traduzido de um subcapítulo de Der O.T.O. Phänomen RELOAD. [1].


[Foto à direita: Robert Deumié era dono do Café Thélème em Montreal e estava sendo nomeado presidente da empresa O.T.O., Inc. , e o "representante pessoal do Califa" no Canadá depois que William Breeze foi eleito Califa. Deumié foi expulso do Califado por supostamente revelar alguns de seus sinais e rituais secretos em um filme de língua francesa que foi exibido na televisão em Québec, em 1990.]
Robert Deumié — Ordo Templi Orientis in Canada — Memphis Misraim


O Fetiche

O fetiche é um item com carga mágica ou mesmo apenas uma ideia que realmente pode ser qualquer coisa que se queira ou deseje. Serve como uma avenida para o sublime, uma forma de experimentar o glamour em seu próprio senso de identidade. O fetiche em si, sendo maior do que o seu indivíduo, não tem nenhuma qualidade particular per se, mas se refere a uma ideia ou item que precisa ser revista regular e repetidamente.
Se isso não for feito regularmente, o fetiche se esgotará. É um meio de preservar o comportamento libidinoso indiscriminado. É a gratificação dos impulsos sexuais que, quando usados ​​dessa maneira, mudam a função do "sexo" para servir de esclarecimento religioso.


Grady Louis McMurtry Califa Califado Ordo Templi Orientis Grady Louis McMurtry, Califa da Ordo Templi Orientis Califado Norte Americana.



Aleister Crowley, o fundador de sua própria religião, e sua O.T.O. modificada foi e ainda é um fetiche para muitos.
O devoto de Crowley, Grady Louis McMurtry, adaptou-se visualmente ao aspecto "Orientis" de sua Ordo Templis Orientis. Ele se tornou membro de um Grupo Sikh, fundado por Siri Singh Sahib Harb Hajan Khalsa, também conhecido como Yogi Bhajan. O Sikhismo é uma religião monoteísta que conserva alguns ingredientes hindus, como reencarnação e carma. O sistema de castas foi rejeitado, assim como a adoração de ídolos. Os sikhs podem ser reconhecidos por seus turbantes e cabelos, incluindo pelos faciais que nunca são cortados. A reputação dos Sikhs como guerreiros especialmente corajosos remonta ao século XVII. O exército britânico favoreceu os sikhs por essas razões e os recrutou como soldados para os regimentos britânicos. Durante a luta pela independência da Índia, os sikhs foram encontrados em ambos os lados do conflito. Até hoje, os sikhs são considerados a espinha dorsal do exército indiano.
1984 Indira Ghandi foi assassinada por seus guarda-costas sikhs em vingança pelo ataque ao Templo Dourado em Amritsar, que havia sido ocupado por fundamentalistas sikhs que exigiam um estado-nação sikh separado.
A personalidade marcial de McMurtry brilha, ele se apresentou como voluntário no exército e participou da Segunda Guerra Mundial na Guerra da Coréia do Norte e também na Europa. Além disso, em uma alusão posterior a uma carta de Crowley enviada a ele para a Bélgica, onde ele estava alocado em 1944, McMurtry afirma: "Eu sou Califa porque sou um soldado." [2]
Crowley, por sua vez, se deleita com temas árabes e muçulmanos, seus rituais escritos para sua O.T.O. parecem ser povoados por figuras vindas diretamente das Mil e Uma Noites.
Grandes eventos cerimoniais são encenados, inundados por uma atmosfera secreta gerada por uma confusão de ingredientes, todas as armadilhas e símbolos que a Maçonaria usou desde tempos imemoriais também são empregados para apelar aos sentidos. Estranhas insígnias, longas fitas e túnicas negras esvoaçam em atos solenes de iniciação, sons estranhos de batidas são ouvidos, atribuições e missões são pronunciadas, cujo propósito permanece oculto.
Às vezes, os iniciados nos grupos da O.T.O. estão vendados. Atos difusos de consagração, nauseabundos vapores adocicados, nudez parcial e música repetitiva criam um clima atraindo o pensamento de que a O.T.O. pode ser sobre magia sexual para a mente do participante. Turbantes, tendas, pilares fazem parte do repertório; há uma orientalização do Ocidente, embora reduzindo o Oriente a uma identidade cultural atrasada. [3] Durante outros rituais, chicotes e armas são ostentados, couro, artigos sexuais e uniformes são usados. Em um vídeo que possuo de um ritual de Crowley, celebrado pelo Califado em Nova York, percebe-se acessórios adicionais. Uma mulher de biquíni dança em um caixão. Ele se abre e nada menos que um Jesus Cristo totalmente maquiado emerge.
No entanto, a maior parte dos rituais de iniciação da O.T.O. não vão muito além desse tipo de jogo de papeis para adultos. O mesmo se aplica aos rituais da Fraternitas Saturni. Para manter as emoções dessexualizadas, a libido se concentra no set, nos rituais. Daí a atenção particular dada aos rituais de iniciação. Mais uma vez, o estereótipo clássico entra em jogo, na maioria das vezes, a O.T.O. é a mãe, Crowley é o pai. Os membros amam o conjunto (ou seja, os rituais) da maneira como desejam um relacionamento idealizado de mãe e filho. Daí os sentimentos de insulto conspicuamente fortes vindos do pai que é percebido como agressivo (Crowley ou críticos, dependendo da perspectiva): A ameaça de castração se aproxima.
Aleister Crowley and the Stele of Revealing


Você precisa de círculos mágicos para manifestar Anjos ou Demônios. O mago está em um círculo e o Anjo tem que aparecer no outro. Occult Magic Gnostic Circle

The Devil Rides Out - Hammer Film Productions 1967. Aleister Crowley foi consultor técnico de "The Devil Rides Out" de Dennis Wheatley em 1934. Christopher Lee sugeriu aos executivos da Hammer que o livro de seu amigo Wheatley seria o material ideal para eles. Richard Matheson forneceu o roteiro e o filme de Terence Fisher foi uma grande melhoria ao livro.


Occult  and the Gnostic and the Magic Magick — The Devil Rides Out — Hammer Film Productions 1967    the Occult Magic Gnostic Circle — The Devil Rides Out — Hammer Film Productions 1967




Os rituais

A importância dos rituais de iniciação não deve ser subestimada. Eles (muitas vezes) representam o amor maternal (a ordem é a mãe, o líder é o pai) e no curso de sua defesa, as grandes armas são trazidas. Por exemplo: é proibido a qualquer pessoa oferecer um dos livros que contenham esses rituais à venda na Amazon ou Ebay como livros de segunda mão. Ameaças de ações judiciais seguem imediatamente. "Fahrenheit 418." [4] Isso aprimora o aspecto do fetiche - e, conseqüentemente, aumenta o preço desses livros.

As seguintes passagens fazem parte da declaração de consentimento que o Califado exige para a admissão aos rituais:

"Eu entendo que todas as tentativas são feitas para minimizar os riscos existentes que são inerentes à natureza de algumas das atividades envolvidas por meio do uso de equipamentos adequados, instalações seguras e boas práticas de segurança. No entanto, também entendo que esses riscos não podem ser eliminados completamente.
Sei que, como participante das cerimônias de iniciação e de outras atividades da Ordo Templi Orientis, posso sofrer lesões corporais. Devido à natureza dessas atividades, os ferimentos podem ser de natureza leve a fatal. Algumas lesões corporais específicas que não são incomuns em tipos semelhantes de atividades estão listadas abaixo:
Parada de respiração; insuficiência cardíaca; acidente vascular cerebral; lesões na coluna e no pescoço (qualquer um dos quais pode resultar em paralisia); ossos quebrados; cortes e lacerações; sangramento; lesões oculares (que podem resultar em cegueira); convulsão; inconsciência; abrasões; desmaio; mal súbito; cólicas; perda de fôlego; afogamento; e aquisição de doenças transmissíveis. Além disso, existe a possibilidade de acidentes ou doenças durante as viagens de e para eventos.
Também compreendo que, como participante das atividades da Ordo Templi Orientis, posso incorrer em lesões não corporais, incluindo, mas não se limitando a: danos emocionais, psicológicos e sociais; e danos ou perda de propriedade pessoal.
Eu entendo que as listas acima não têm o objetivo de incluir todas as lesões que podem ocorrer, mas sim de me informar sobre os tipos de riscos inerentes à minha participação nas atividades da Ordo Templi Orientis, para que eu possa fazer uma escolha voluntária de participar ou não participar.
Eu declaro que estou participando voluntariamente de qualquer ou todas as atividades da Ordo Templi Orientis com pleno conhecimento dos riscos potenciais que elas apresentam, incluindo riscos de lesões corporais, emocionais, psicológicas e sociais, danos à propriedade e morte, e Eu, por meio deste, concordo em aceitar todos e quaisquer riscos de tais lesões corporais, emocionais, psicológicas e sociais, danos à propriedade e morte.
Eu concordo em não atribuir e isentar de toda responsabilidade a Ordo Templi Orientis, Ordo Templi Orientis USA e seus agentes, voluntários, oficiais, funcionários e diretores, por danos corporais, emocionais, psicológicos e sociais, danos à propriedade ou morte decorrentes da minha participação nas atividades da Ordo Templi Orientis. Também concordo em manter sigilo em relação aos procedimentos das cerimônias privadas de iniciação religiosa da Ordo Templi Orientis e aos documentos relacionados a essas cerimônias. Dou esta isenção e indenização em troca da oportunidade de participar das atividades da Ordo Templi Orientis.
Certifico que li este contrato, que me foi explicado e que posso estar desistindo de direitos legais que poderia ter. Eu reconheço que tenho pelo menos dezoito (18) anos de idade."
[5]

Potenciais VI ° são solicitados à, "nos notificar imediatamente se alguma das seguintes condições for verdadeira:
  1. Você tem _qualquer_ doença sexualmente transmissível, transmitida de forma oral ou pelo sangue; ou se contraiu qualquer doença até o momento de sua iniciação.
  2. Você é hemofílico ou tem qualquer forma de anemia ou hipoglicemia.
  3. Você é incapaz, por qualquer motivo, de consumir álcool.
  4. Você está tomando qualquer medicamento com ou sem receita no momento de sua iniciação; especialmente qualquer medicamento com efeito anticoagulante ou que possa produzir efeitos colaterais indesejáveis quando tomado com álcool."



A questão quanto ao perigo representado pelos rituais da O.T.O. que são inofensivos em si mesmos, e que incluem pequenas incisões que lembram rituais de irmãos de sangue escoteiros vêm à mente.
Em 2005, conversei sobre isso com Bill Heidrick. Se ocorrer uma emergência psicológica durante uma iniciação, disse ele, ela deve ser cancelada imediatamente e procurar ajuda profissional. Mencionei memórias de tortura e abuso (flashbacks) que uma iniciação pode desencadear em membros de zonas de guerra. Além disso, apontei para fobias, ou seja, medos constantes não comprovados de situações e coisas particulares, pessoas que sofrem de transtorno de estresse pós-traumático, que revivem cronicamente o momento estressante causado por uma experiência real que tipicamente induz ao medo mortal.
Ele foi evasivo quando perguntei se os iniciadores são suficientemente treinados para perceber uma ameaça psicológica iminente para aqueles que estão para ser iniciados ou se eles estão devidamente equipados para lidar com uma emergência durante os rituais. Ele apenas disse que as emergências são "óbvias" e fez questão de deixar o assunto de lado.

Há alguns anos, na Alemanha, uma mulher iraniana foi iniciada na O.T.O. Califado. Durante o ritual, ela se lembrou de ter sido torturada em seu país. [6] Possivelmente o ritual era o I°, durante o qual a pessoa tem que se sentar na escuridão na água para nascer de novo. O ritual foi interrompido imediatamente. Histórias semelhantes são contadas por membros que serviram nas guerras no Iraque ou nas regiões da ex-Iugoslávia. Aqui falamos da síndrome de estresse pós-traumático. Existem duas opiniões no Califado: Heidrick geralmente atribui caráter terapêutico aos rituais iniciáticos, argumentando que esses rituais foram concebidos por maçons durante "tempos históricos muito conturbados". Outros membros superiores admitem que os rituais nunca alcançaram quaisquer efeitos terapêuticos. Pelo contrário: "Posso contar dezenas de histórias de terror que deixaram iniciados com memórias terríveis e duradouras que podem muito bem precisar de terapia para corrigir." [7]

Em 2008, o Califado aceita apresentar aos sacerdotes e sacerdotisas atuantes da Missa Gnóstica Crowleyana os princípios das "categorias de diagnóstico psiquiátrico e abordagens básicas para avaliação de doenças mentais e questões de dependência química". Eles contemplam "ferramentas para trabalhar com intervenção em crise, aconselhamento do luto, resolução de conflitos e questões de sexualidade". Para alcançar este objetivo, a Guilda de Psicologia cria as chamadas Oficinas de Aconselhamento Pastoral. [8] É claro que, em caso de emergência, a polícia deve ser chamada imediatamente.

Nos rituais de iniciação da O.T.O. de Crowley, há um instante semelhante de beber sangue, como supostamente praticado em um certo ritual maçônico de alto grau pelo menos até 1932. Se der crédito ao maçom Karl R.H. Frick, a pessoa a ser iniciada no XI°, [9] o Altamente Iluminado Eleito Membro do Sistema da Grande Loja Nacional dos Maçons da Alemanha, na verdade bebeu o sangue dos polegares incisos de seus irmãos de um frasco de cristal. [10]
No ritual do III° da O.T.O. de Crowley, o iniciado bebe um pouco de sangue e láudano de um cálice. No ritual K.E.W. (Cavaleiros do Oriente e do Ocidente - uma espécie de grau intermediário entre o IV° e o V°), o candidato goteja algumas gotas de sangue em um pedaço de pano. No VI° uma Cruz de Santo André é cortada no braço do candidato, o sangue é recolhido em um cálice. No V° o candidato deve ter uma rosa tatuada no peito.
Existem rituais de sangue para os Thelemitas, mesmo fora do contexto das iniciações da O.T.O., Crowley projetou a Missa da Fênix. Apesar da aversão dos Thelemitas pela cristandade e da luta contra o termo "Missa Negra", que supostamente é uma mera paródia e depreciação da Missa Católica, aos meus olhos a Missa da Fênix, entretanto, deixa de ser uma paródia apenas por um fio de cabelo.

"Tu Criança,
Santo e imaculado é Teu nome!
Teu reino é vindo: a Tua vontade realizada.
Aqui está o Sangue; aqui está o Pão
Pela meia noite até o Sol me traga!
Me salva do Bem e do Mal!
Que Tua coroa una de todas as Dez
Mesmo aqui e agora seja minha. AMÉN."


Depois, a pessoa corta um sinal mágico no peito com uma faca ritualística, pressiona o bolo de luz (isto é, a hóstia feita de acordo com a receita de magia sexual) para absorver o sangue e comê-lo.

"Presto o Jurameto e como este Pão,
Enquanto eu me inflamo em oração:
“Nenhuma culpa ou graça esperes:
Esta é a Lei: FAZE O QUE TU QUERES!”
[11]







Mais fluxo de sangue e esperma em outros rituais de Crowley que também não têm quase nada a ver com sua O.T.O., Liber LXVI Stella Rubeae [12] por exemplo.
Além disso, os fetiches visualmente associados à sexualidade chamam a atenção. O esperma não se parece um pouco com o ectoplasma - algo inexplicável escorrendo dos orifícios do corpo, como é visível em fotos muito antigas?

Relíquias de contato ou do corpo também figuram com destaque. Relíquias do corpo são partículas do corpo de um santo, relíquias de contato são objetos que estiveram em contato com um santo. Assim, uma vez, surgiu a ideia de saquear o túmulo do fundador da O.T.O., Theodor Reuss, a fim de tomar posse de seu crânio como uma poderosa relíquia mágica. [13] Na Suíça, o ursinho de pelúcia de Hermann Joseph Metzger, os sapatos que ele usava, os pratos que usava quando criança, seu fez e a varinha mágica de seus longos dias no palco podem ser admirados atrás de um vidro no museu da O.T.O.Suíça.


Foto à esquerda:
Friedrich Mellinger: "Zeichen und Wunder", Berlin 1933, photo–page 46.
Friedrich Frederic Mellinger — Ektoplasma — ectoplasm


Um tipo diferente de fetiche ocorre onde o chamado Satanismo e Crowley são projetados em um conjunto de profanações de cemitérios, crime ritualístico, Heavy Metal e Black Metal. Por convenção, esse tipo de fetichismo é particularmente apreciado. Especialistas que se autodenominam, jornalistas e seu público em grande parte desinformado se divertem com esses fetiches. Brincar com fantasias geralmente cheias de violência e principalmente rituais de sangue e morte é muito popular. É claro que a perspectiva de um escândalo na mídia que se segue se transforma em um fetiche em si mesmo para todos os envolvidos.
Este é o terceiro tema: a construção de uma identidade pelo estigma. Por agora, porém, outra ideia rapidamente:

Esquizofrenia Auto Induzida

... "Som e Visão em Transe" isto é, embora eu realmente não aceite essa expressão, pois lembra a ideóloga nazista Mathilde Ludendorff, que em 1933 pensava ter sentido o cheiro de um ninho de rato de "Loucura induzida pelos Ensinamentos Ocultistas" dentro da O.T.O. [14]
Resumindo: muitos ocultistas, em particular os Crowleyanos, tentam criar ou entrar em contato com realidades novas ou alternativas. A intenção do ocultista na esquizofrenia autoinduzida prescreve a si mesmo a descrição dos sintomas. Similia similibus curantur. Ele provoca os sintomas da esquizofrenia clássica à força, na esperança de se tornar um homo superior como consequência.
As palavras-chave: Sintomas semelhantes aos de uma psicose afetiva, depressão endógena, de doenças orgânicas do cérebro ou psicoses associadas à epilepsia do lobo frontal.
Não se visam os distúrbios psicológicos primordialmente internos da esquizofrenia clássica (por exemplo, distúrbio do pensamento, fraqueza do ego, inundação da consciência por processos primários e assim por diante), mas sim processos que influenciam o padrão de relacionamentos de acordo com a intenção do ocultista, pois tudo deve acontecer "sob vontade". Os ocultistas desejam receber visões e ouvir vozes. Eles parecem acolher qualquer coisa - o uso de drogas, ioga ou qualquer outro meio de alteração ou expansão da mente. [15] Eles desenvolvem um forte desejo de ouvir vozes e receber visões.

Parta dos padrões de relacionamento em que repousa a vida de um esquizofrênico auto-induzido, a cabala, a ilusão de que tudo está conectado a tudo, de que tudo é o mesmo. Os esquizofrênicos auto-induzidos precisam viver em um mundo onde a sequência de eventos se desdobra de uma forma que torne seu comportamento de comunicação extraordinário compreensível e permita que eles encontrem parceiros na comunicação. Afinal, a esquizofrenia auto-induzida tem a intenção de fazer sentido. Além disso, desejam compartilhar suas experiências cotidianas, que podem incluir a convergência cabalística da unidade de uma forma de vida alienígena e um tomate (porque possivelmente o termo "alienígena" carrega o mesmo valor numérico cabalístico da palavra "tomate").
Obviamente, isso leva à interrupção da comunicação com aqueles que não participam desses padrões, por ex. não-ocultistas. Ainda assim, o desejo de estar de alguma forma conectado ao resto do mundo e ser notado permanece. Segue a ressocialização ao escolher construir uma identidade baseada na estigmatização.



Ordo Templi Orientis O.T.O. Caliphate T-Shirt Lamen Emblem


Re–Socialização. Identidade através do Estigma

Estou falando aqui do papel que a sociedade atribui aos ocultistas: eles se transformam em Satanistas, forasteiros, foragidos, lunáticos, cobaias para acadêmicos, personagens perigosos para especialistas e jornalistas e em ameaças gerais e obscuras à população. Todo ocultista está mais ou menos ciente dessas atribuições e, portanto, mais ou menos conscientemente, ou se identifica com elas ou flerta com a rebelião contra essas atribuições de papel. No entanto, ele permanece tão incapaz de se desapegar quanto Crowley e Thelema não conseguem se livrar da odiada cristandade.
Assim como os papéis precisam ser aceitos e a institucionalização e a formalização começam a co-determinar a experiência, a tendência ao isolamento na vida dos ocultistas se intensifica. Os rituais consolidam o sentimento de alienação e ele começa a se instalar. Esse processo de congelamento acompanha a adaptação exigida pela sociedade ou mesmo se transforma em um substituto da adaptação.
Consequentemente, um efeito de eco atinge os ocultistas e a sociedade e eles e seus críticos começam a fincar os pés.
Quanto mais se imagina que ocultistas estejam por aí, mais especialistas e jornalistas consideram sua própria identidade válida e vice-versa. Dentro do reservatório de crenças que lidam com conspirações alucinadas, o fato diminui e se dissolve em um redemoinho de informações manipuladas escritas na água e onde todos os envolvidos confundem com terreno sólido.
Por causa da progressiva rigidez de atitude e da perda de leveza, as partes opostas parecem congeladas. Os rituais da O.T.O. parecem ridículos e vazios, para especialistas e jornalistas fanáticos e obstinados (a menos que sejam ocultistas no armário preparando sua religião ou ordem para o mainstream ou a academia).

Em 1994, Claudia Kowalchyk embarcou em uma pesquisa de um ano na Loja da O.T.O. Califado de Nova York e, subsequentemente, escreveu "A study of two 'deviant' religious groups: The Assemblies of God and the Ordo Templi Orientis". Nota: Este estudo acadêmico investiga apenas o Califado em Nova York. O resultado pode ser resumido declarando que os membros são em sua maioria brancos, bem educados, foram criados como católicos romanos, não têm filhos e têm, em média, 36 anos de idade. Sua permanência nesta O.T.O. em média, dura meros seis anos e meio, e entre eles há significativamente mais homens do que mulheres. Algumas das mulheres, sofrendo as consequências do abuso sexual, detectam que somente neste grupo da O.T.O. sua situação é reconhecida. Muitos membros passaram por uma infância miserável e encontram uma espécie de terapia na O.T.O. Alguns até conseguem largar o vício das drogas devido à sua adesão. Estes são resultados resumidos fortemente abreviados do estudo de Kowalchyk, que também afirma que a perspectiva otimista dos Thelemitas aliviou o sofrimento de seus medos existenciais. [16] Em lugar de sentimentos de isolamento da sociedade, ser membro da O.T.O. oferece uma espécie de proteção contra o estigma. O não-conformismo funciona como um escudo contra o estigma.
Dentro da micro sociedade da O.T.O., permanece-se parte da sociedade e aqueles que fazem a estigmatização são considerados inferiores e de menos valor, sejam autoridades, mídia ou colegas de trabalho. [17]

De acordo com a pesquisa da Sra. Kowalchyk, a O.T.O. Califado apela acima de tudo para jovens com uma história de lares problemáticos, relacionamentos difíceis e uso de drogas, que também se apresentam como audotdenominados foras da lei, embora aceitem completamente os limites do conjunto de leis estaduais ou governamentais, agindo de acordo com elas.
Juntar-se aos grupos da O.T.O. poderia satisfazer o desejo de cumprir o papel de fora-da-lei ou de confirmar essa identidade autoproclamada. [18] Interesse público nas atividades da O.T.O. manifesta-se em numerosas publicações que apontam declarações antidemocráticas e anti-semitas, por ex. na obra de Crowley, bem como em passagens que possivelmente perturbem "a paz religiosa". Algumas teatralidades - como a crucificação de um sapo conforme prescrito para a iniciação no VI° de Crowley - podem infringir o ato de proteção animal.
Com a propagação de drogas peculiares e exóticas, a "bíblia" de Crowley pelo menos desafia a lei criminal na maioria dos países, o uso dos Bolos de Luz contém sangue fresco que vai contra restrições destinadas a conter doenças contagiosas.
Pior ainda, alguns textos que defendem a liberdade sexual total, incluindo a respectiva educação sexual para crianças, abrem as comportas para fantasias de atos sexuais que são proibidas pela maioria dos sistemas judiciários. [19]

A Sra. Kowalchyk também argumenta que Thelema funciona em parte como uma terapia de sucesso para uma série de problemas. Os membros de uma família pais problemáticos recebem um aumento imediato de poder, bem como uma identidade dentro de uma comunidade de escolhidos com interesses semelhantes. Recebem a afirmação do que de alguma forma souberam desde a mais tenra infância, ou seja, que pertencem a algo melhor, especial, superior e singular. Eles têm orgulho de serem membros da ordem. O estigma auto-escolhido da comunidade da O.T.O. é cultivado, o papel do incompreendido e do excluído é aproveitado, a imagem do "bad boy" cuidada. No trabalho, no escritório, a pessoa apenas morde a língua sempre que é repreendida pelo patrão. Em casa, no templo, livramo-nos de problemas cotidianos desagradáveis, evocando-os em rituais mágicos ou discutindo-os com um ser sobrenatural que, em troca, oferece declarações misteriosas. [20]


Claudia Kowalchyk, A study of two 'deviant' religious groups. The Assemblies of God and the Ordo Templi Orientis, NY 1994, front page 1 Claudia Kowalchyk, A study of two 'deviant' religious groups. The Assemblies of God and the Ordo Templi Orientis, NY 1994, front page 2


Claudia Kowalchyk, A study of two 'deviant' religious groups. The Assemblies of God and the Ordo Templi Orientis, NY 1994, page 444 Claudia Kowalchyk, A study of two 'deviant' religious groups. The Assemblies of God and the Ordo Templi Orientis, NY 1994, page 27


Claudia Kowalchyk, A study of two 'deviant' religious groups. The Assemblies of God and the Ordo Templi Orientis, NY 1994, pages 55, 93, 103, 208 Claudia Kowalchyk, A study of two 'deviant' religious groups. The Assemblies of God and the Ordo Templi Orientis, NY 1994, pages 209, 283, 302, 393

Claudia Kowalchyk, A study of two 'deviant' religious groups. The Assemblies of God and the Ordo Templi Orientis, NY 1994.
Citações: Páginas 444 (tabela 1), 27, 55, 93, 103, 208, 209, 283, 302, 393.



Eu acho que o conceito de Thelema atrai pessoas com uma auto-imagem positiva exagerada, uma inclinação para a auto-ilusão (homo est deus) e um esforço para a perfeição com um toque marcial (pois apenas os fortes sobreviverão). [21]

Ordo Templi Orientis Caliphate Styles of Address

[Retirado de 'Noch Mehr Materialien Zum O.T.O.']


A realidade velada dentro da qual muitos Thelemitas estão vivendo (seu meio social e culturalmente prejudicado) os força a uma identificação com Crowley, a quem dificilmente se pode, ou por nenhum esforço da imaginação, atribuir uma personalidade coerente.

A identificação com o fundador de uma religião cuja bíblia defende a ingestão de "vinho e drogas estranhas", que encontra euforia religiosa consumindo esperma em saunas, é alimentada pela própria biografia cheia de questões relacionadas ao ego, sexo e drogas. Semelhante a algumas outras novas religiões não mencionadas aqui, a terminologia da visão de mundo thelêmica visa a eliminação do pensamento racional e conformar-se à sociedade. Quase parece que esta forma de camuflagem é o verdadeiro significado ou como se costuma dizer: "O método da ciência, o objetivo da religião."




"Magickal Link" III;3, Berkeley, Março de 1983

A ideia de terapia no contexto da O.T.O. se for o caso, poderia ser aplicada em relação a uma adaptação à norma social.
Os Thelemitas da O.T.O. falam de família, [22] dever, privilégios e o desejo de fazer do mundo um lugar melhor (com o máximo de sexo possível, como me foi dito pessoalmente por um IX°). Por que então os Thelemitas estão tão preocupados em conjurar demônios, Deuses Egípcios e, portanto, bastante mortos, por que eles estão realizando rituais que lembram o desempenho das crianças da Família Addams em produções escolares ruins?
Tudo isso parece ser sobre estereótipos bloqueados. [23] Semelhante ao que Nietzsche, admirado pelos Thelemitas, achou faltoso no que diz respeito à cultura ocidental: o vazio na própria cultura está cheio de hábitos exóticos, artes, filosofias, religiões e ciências. Os ocultistas são enciclopédias errantes dentro de seu próprio universo.

Onde o dinheiro e as posses não contam mais como capital, o conhecimento das técnicas ocultas sim. Thelema como um sistema complexo e elitista que bajula a inteligência dos Thelemitas e eleva seu status e auto-estima, não necessariamente aos olhos de uma corrente dominante amplamente desinteressada, mas entre si e dentro da comunidade ocultista mais ampla que, claro, não consiste apenas em Thelemitas. O ocultismo moderno é um produto da mídia de massa que inclui a internet, e toda e qualquer declaração sobre ocultismo é observada de perto pelos próprios ocultistas e seus observadores. Assim, todas as atividades contêm o flerte constante com a ideia de publicação, de público e de autorretrato.

Os fetichistas da ciência frequentemente bloqueiam questões sexuais ou relacionadas a drogas ao lidar com o estilo de vida e a motivação dos ocultistas. Então na verdade, observadores de seitas e cientistas auxiliam os magos sexuais e os Espermo Gnósticos a forçar a sexualidade de volta à mente inconsciente. Dessa forma, a irracionalidade é mistificada e isenta de reflexão à medida que os conceitos irracionais fogem das receitas secas da academia. [24]
Os chamados Sentinelas de Seita, geralmente auto-denominados cientistas, podem escolher entre um conjunto mais amplo de funções oferecidas pela sociedade.

Mesmo assim, eles também precisam relegar a ameaça da sexualidade ao inconsciente. Parece-me que é então substituído pelo chamado satânico.
A delegação ao inconsciente, ou seja, o cultivo de ideias megalomaníacas e delírios de grandeza não só dá origem à manipulação da percepção, mas pode ir tão longe quanto à delegação de estudos escritos sobre o assunto para pessoas de dentro.
Segurar a batata quente é queimar os próprios dedos. Foi o que aconteceu com o editor de uma enciclopédia sobre os bispos gnósticos. Suas respostas às minhas perguntas sobre o conteúdo cresceram de evasivas para totalmente bizarras, até que finalmente ele confessou e admitiu que seus alunos haviam inventado tudo.

A resposta de outra pessoa à minha pergunta se ele tinha lido minha obra principal: [25] "Não, lamento dizer que não li seu livro, mas comprei, o que pelo menos é importante (para a editora)." Isso depois que essa pessoa publicou uma longa resenha exatamente sobre aquele livro.
Portanto, parece perfeitamente normal que as resenhas ou prólogos sejam escritos como favores, ao passo que, em particular, o revisor admite que não estava interessado no tópico ou em desacordo. Estou ciente de um professor bastante famoso que alugou seu nome em troca de uma grande soma para que uma obra-padrão contemporânea usasse seu nome a fim de aumentar seu prestígio.


Teatralidade

Agora eu gostaria de ilustrar o papel dos envolvidos. Vamos prosseguir com os primeiros trabalhos de Leo Navratil sobre Esquizofrenia e Arte (Alfred Bader e Leo Navratil: "Zwischen Wahn und Wirklichkeit", Verlag Bucher, Luzern e Frankfurt 1976). Ele descreve seus pacientes vivendo dentro de um sistema alterado de percepção religiosa e autorreferência. Isso pouco tem a ver com a anamnese ou com a avaliação do caso. O aspecto religioso é apenas uma expressão possível do transtorno, mas não o transtorno em si.
Ao lidar com vítimas de abuso ritual, deve-se tomar cuidado com o erro de declarar que a expressão da desordem (na verdade, o contrapeso pretendido para restabelecer a melhor ordem possível) é a própria desordem. Assim como o desenho de um esquizofrênico não é a doença.
Vamos construir um exemplo: em um ajuste, uma pessoa esquizofrênica faz um desenho no qual copia Brigitte Bardot de uma imagem de uma revista.
Não importa o que o espectador pensa de Bardot: ela não é a causa da esquizofrenia, nem o gatilho do ataque, nem o próprio transtorno esquizofrênico.

Mas é exatamente esse tipo de confusão acima que alguns especialistas e jornalistas parecem sucumbir também. Eles não reconhecem que um transtorno psicológico busca diferentes formas de expressão. Em vez disso, eles convertem a expressão em seu valor nominal na causa do distúrbio que pode ser a consequência de um trauma. A expressão não é prova de qualquer tipo de que o trauma existiu. Também não prova que o trauma foi causado por satanistas.
É tarefa dos especialistas oferecer fatos sobre Brigitte Bardot ou sobre a O.T.O. e cabe aos jornalistas noticiá-los sem preconceitos.
É responsabilidade da polícia e do judiciário investigar os crimes. Se houver indícios de tal.






Ordo Templi Orientis Swing 93gamesstudio Reality in a Game Keith Taylor Weapons
Fonte: Keith Taylor http://www.93gamesstudio.com



AMORC A.M.O.R.C. American English Pulp Magazine Science Fiction Fantastic Universe Amazin Stories The Rosicrucians Spencer Lewis Antiquus Mysticus Ordo Rosae Crucis or Ancient Mystical Order of the Rosy Cross AMORC A.M.O.R.C. Deutsch German Pulp Magazin Silber Grusel-Krimi Dan Shocker Die Rosenkreuzer Spencer Lewis Antiquus Mysticus Ordo Rosae Crucis oder Ancient Mystical Order of the Rosy Cross



NOTAS DE REFERÊNCIA



[1] Baseado em Andreas Huettl, Peter–R. König: "SATAN – Jünger, Jäger und Justiz", Grosspösna 2006. Veja páginas 195, 330, inter alia. https://parareligion.ch/hispeed/english.html.


[2] https://www.parareligion.ch/white.htm#_edn33.


[3] Veja também https://www.parareligion.ch/macdonald.htm.


[4] https://www.parareligion.ch/dplanet/or/or9b.htm.


[5] "Consentimento informado, liberação e indenização", (versão de 13. 4. 2011) Crianças pequenas não se tornam membros da O.T.O. Califado. As crianças não são iniciadas porque não têm a experiência completa de uma infância completa. Para eles, os rituais não seriam mais do que uma espécie de excursão com os pais e, portanto, sem o verdadeiro caráter de uma iniciação.


[6] Como muitos rituais maçônicos e pseudo-maçônicos, assim também aqueles da O.T.O. de Crowley, contêm juramentos de morte e seções que podem ser descritas como psicodrama ou assustador, os oficiantes são encorajados a reagir a tais passagens com uma "risada contagiante." E-mail sem data de William Heidrick, que também gosta de apontar consequências astrais e cármicas após a violação de um juramento - significando a morte dolorosa de Karl Germer, https://www.parareligion.ch/sunrise/book.htm.


[7] Jerry Cornelius, email, 15.10.2005.


[8] "Neshamah" I;2, Sacramento Março 2008 e sua menção em "An Introduction to Pastoral Counseling in E.G.C./O.T.O. Settings" por David G. Shoemaker em http://lib.oto-usa.org/agape/index.html, Agapé, Volume 10;1.


[9] Não é idêntico ao IX° da O.T.O.


[10] Karl R.H. Frick: "Das Reich Satans. Satan und die Satanisten 1", Graz 1982, página 224 e seguintes.


[11] http://www.ashami.com/eidolons/A_Guide_to_the_Office_of_Deacon, http://www.bibliotecapleyades.net/crowley/lies/47.htm.


[12] A seguinte orientação para um rito, desenvolvida em 1913, contém uma linha final que parece sair do contexto: "Nenhum som será ouvido, exceto este teu rugido de êxtase de leão; sim, este teu rugido de êxtase de leão". http://sacred-texts.com/oto/lib66.htm
A linha ou se refere à posição do leão de Hatha-Yoga (Simhasana) ou pode ser uma alusão irônica à epístola de 1 Pedro 5:8: "Esteja alerta e de mente sóbria. Seu inimigo, o diabo, ronda como um leão que ruge procurando alguém para devorar."


[13] "Continue tentando descobrir onde T.Reuss está enterrado." "se pudermos encontrar seu túmulo, desenterrá-lo e recuperar o crânio e alguns ossos, e devolvê-los a G.L. [Grand Loge], muito poder se manifestará em toda a ordem." Christopher Dietler/Zardoz para Walter Jantschik, cartas de 2.6.1983 e 18.3.1983.


[14] Primeira edição 1933, reimpressão, Pähl, 1970. Criticando a lista de santos citados na Missa Gnóstica de Crowley, a Sra. Ludendorff também toca no contexto do fetichismo: "Aqui, só precisamos mencionar - como em todos os ensinamentos ocultos, então aqui, também - que aqueles ainda surpresos com o desagradável e desavergonhado, bem como com o absurdo, são 'humilhados' por uma lista de nomes de grandes homens do passado, supostamente tendo sido membros da ordem. Exatamente como na Igreja Cristã e como na Maçonaria, neste caso, o seguinte é indicado a eles: 'Vocês desejam ser maiores do que eles, mais sábios do que aqueles grandes homens que acreditaram nisso', assim dizem os sacerdotes, e é isso que a lista deve afirmar. Humildemente a vítima começa a preferir duvidar de seus próprios valores ao invés dos ensinamentos em que tantos grandes nomes, tantos espíritos nobres acreditavam. Então, assim como nas lojas maçônicas, uma longa fila de tais homens é orgulhosamente listada na O.T.O., de homens que talvez nunca tenha feito parte dela ou ainda tinha sido pego de surpresa e, vinculado por juramentos, não foi capazes de 'tirar seus nomes do livro' como quase sempre é decretado por essas ordens secretas. Antes que a comunhão blasfema comece, o sacerdote nomeia os grandes sábios de todos os séculos que supostamente pertenceram à ordem. 'Wolfgang von Goethe, Ludwig, Rei da Baviera, Richard Wagner, Ludwig von Fischer, Friedrich Nietzsche' estão listados entre os alemães. Obviamente, a comunidade não consegue verificar onde está a mentira e se admira por estar em tão ilustre companhia. Isso, novamente, é da maior importância para consolidar a embrutecimento dos discípulos artificialmente enfermos, pois agora em suas almas eles alteram os termos de sabedoria e absurdo. O que antes pensavam serem bobagens, agora consideram sábio, o que parecia prudente, claro e sábio, agora tomam por doutrina sem valor e falsa. Mas esse é exatamente o ponto de quem conscientemente embrutece as pessoas! E, para esse fim, realmente vale a pena ter atraído os sábios do passado para a ordem, contando-lhes grandes histórias sobre ensinamentos e objetivos totalmente diferentes, assim como fizeram com nomes como Frederico, o Grande, Fichte, Lessing, Mozart, entre outros, atraindo esses homens para as lojas apenas para mais tarde manter um silêncio cuidadoso sobre sua profunda decepção!", reedição de 1970, p. 90.


[15] O desencadeamento de emoções fortes, atividades hiperintensas, estímulos situacionais (parafernália religiosa ou sexual) aumentou o tempo presente e reduziu a orientação do tempo passado e/ou futuro.


[16] [16] Um estudo semelhante na área de língua alemã: Gerhard Mayer: "Arkane Welten. Biografien, Erfahrungen und Praktiken zeitgenössischer Magier", Würzburg 2008. Volume 6 de "Beiträge zur wissenschaftlichen Erforschung aussergewöhnlicher Erfahrungen und Phänomene", comissionado pelo "Institute for Frontier Areas of Psychology and Mental Health", uma sociedade registrada. O termo "Regiões Fronteiriças da Psicologia" ["Grenzgebiete der Psychologie"] foi cunhado por Oscar Schlag, https://www.parareligion.ch/schlag.htm e https://www.parareligion.ch/sunrise/schlag1.htm.


[17] Nichos na sociedade, como religiões alternativas (emergentes), onde são capazes de definir seu status econômico, cultural e social, são ocupados por boêmios modernos, elites que se autodenominam e autodenominados foras da lei.


[18] "O ocultista busca o domínio do mundo e oscila ambivalentemente entre a destruição da cultura (por meio da resistência à moralidade dominante) e a preservação das culturas do Alto e da Massa (já que ele exige suas tradições mágicas). Não existe alternativa a essa reivindicação totalitária no mesmo nível, ou com a mesma reivindicação de significado. É por isso que o ocultista oscila entre a busca transcendental de antecipação cultural e sua contraparte, uma esperança de destruição da cultura existente." https://www.parareligion.ch/ecstasy.htm.


[19] "Além disso, a Besta 666 [Crowley] avisa que todas as crianças devem estar acostumadas desde a infância a testemunhar todo tipo de ato sexual." Israel Regardie: "The Law is for All", Arizona 1975, 114, http://hermetic.com/legis/new-comment/. Crowley: "Deixe as crianças se educarem para serem elas mesmas. Aqueles que as treinam de acordo com os padrões os aleijam e deformam." "On the Education of Children", em: "The Revival of Magick", Tempe 1998, sekhetmaat.com/wiki/Documents/On_the_Education_of_Children. Crowley sobre um menino: "Enquanto o outro em seu orgasmo recebe as águas." "Que não seja pecado para nós ter sodomizado o vagabundo." "Enquanto o sacerdote empurra seu tirso entre as nádegas do menino, Tudo está consumado; venha Santa Pomba!" http://bluepyramid.tripod. com/index/id4.html. "The Equinox" IV; 2, Maine 1998, 405.


[20] Veja Huettl/König, SATAN, p. 267: A Sra. Kowalchyk não é membro. Antes que ela pudesse começar seu estudo, todos os membros da O.T.O. Califado tiveram que obter permissão do chefe deles - William Breeze -, permitindo que eles falassem com ela. A Sra. Kowalchyk procedeu da maneira tradicional. Ela visitava as reuniões da loja, entrevistava regularmente membros e comparava suas descobertas com as de outro "grupo religioso desviante", um agrupamento cristão-fundamentalista. Claro, pode-se presumir que a presença da Sra. Kowalchyk influenciou muito o comportamento dos membros da O.T.O. O cenário por si só influenciou esses membros. Temos aqui um grupo religioso especial marginalizado, oficialmente pesquisado por um cientista, cujos membros estão sob tal pressão que precisam buscar a aprovação de seu Patriarca e da "Santa Majestade". Certamente nada de prejudicial à imagem acontecerá nem será mencionado que o cientista possa notar. O problema com a maioria dos cientistas escrevendo sobre Crowley ou a O.T.O. é que eles não têm assuntos internos à sua disposição, mas sim conduzem conversas superficiais com os membros sobre as publicações disponíveis nas livrarias, os boletins que também os não membros recebem. Portanto, evidentemente, todas as dicas sobre sexo e drogas simplesmente passam pelo quadro.
- Então, o que foi surpreendente durante a leitura deste estudo foi a omissão do consumo de drogas e a falta de discussão sobre questões sexuais. O estudo de Kowalchyk retrata esses Thelemitas como caretas inibidos que até usam salas separadas de acordo com os sexos ao mudar as roupas para os rituais. Outro ponto em que discordo da Sra. Kowalchyk: ela menciona particularmente a atitude otimista dos Thelemitas em relação à vida. Eu vejo isso de uma maneira completamente diferente. Para mim, Thelema é profundamente pessimista, somatofóbica com suas leis rígidas, fatalista em sua crença nos atos desconhecidos e insondáveis ​​dos deuses e oferece apenas uma simulação de curto prazo e muito limitada de estar de bom humor. O que se deve pensar sobre sexo livre, desde que todo orgasmo deva ocorrer "sob a vontade" ou deva ser vivenciado como um ato religioso? E quão alegre é experimentar o corpo enquanto direciona seus pensamentos para um objetivo mágico durante o orgasmo?


[21] Por exemplo: "Os fracos, os tímidos, os imperfeitos, os covardes, os pobres, os chorosos — estes são meus inimigos, e Eu sou vindo para destruí-los." Liber Tzaddi, 25, http://www.sacred-texts. com/oto/lib90.htm.


[22] Na O.T.O. Suíça os laços familiares são vistos como obstáculos. Dentro do Califado, a família tradicional é discutida no que diz respeito aos rituais sexuais: "O sexo ocasional [sic], é claro, depende dos indivíduos envolvidos e, em alguns casos, os oficiais podem ser escassos; mas a natureza humana mostra que um casal casado ou vinculado é um risco para a estabilidade de ambos, família e do corpo oficial, nas duas patentes de oficiais do corpo. Onde for conveniente, é melhor ter oficiais de unidades familiares diferentes [...] Aconselhamento sobre casamento [sic] não é uma atividade apropriada, sendo basicamente intromissão." "Magickal Link" III; 3, Berkeley, março de 1983.


[23] Aqui eu excluo deliberadamente a Typhonian O.T.O.. Na T.O.T.O. não há títulos, hierarquias, rituais institucionalizados, não há culto à personalidade.


[24] Durante o mesmo período em que a ocultura começou a se espalhar dentro da academia ou vice-versa: quando a academia começou a se apropriar da ocultura, a internet se tornou parte do mainstream. Enquanto a academia ocultista permanece em dívida com elementos de um mecanismo reacionário, como prestígio e dinheiro, a internet rompe a monopolização do conhecimento e permite que uma espécie de lixo pós-moderno flua livremente para as salas de estar. No entanto, o valor do conhecimento, bem como o valor da arte uma vez que, E de acordo com Marcel Duchamps e Joseph Beuys, pode ser encontrado em todos os lugares, também foram sujeitos a transformação.
Na área das artes, as instalações, as performances e os locais de encenação (galerias, museus) substituíram a velha tradição do original, enquanto, por outro lado, a internet transforma qualquer pessoa em especialista e torna o conhecimento replicável ad infinitum. Uma nova lacuna tecnológica cultural se abre, aparentemente permitindo uma distinção entre o sério e o duvidoso. Qualquer coisa impressa em papel é considerada séria, enquanto qualquer coisa que apareça em uma tela é considerada espúria. A academia se encontra sob pressão e as enciclopédias originadas nos círculos incestuosos dos acadêmicos do ocultismo proliferam cada vez mais rápido. Gera-se assim a paralisação intelectual, o conservadorismo radical, a anti-curiosidade. Abertura e perguntas são substituídas por modelos: Ocultista contemplador-do-umbigo. Veja também "Versão Jogo de uma O.T.O. – Fatamorgana" em https://parareligion.ch/2021/playgame_port.htm.


[25] The O.T.O. Phenomenon REMIX: a versão anterior dos três volumes atuais de The O.T.O. Phenomenon RELOAD.



© Peter–Robert Koenig, July 2011.
Esta é uma versão resumida e traduzida, retirada de um sub-capítulo de Der O.T.O. Phänomen RELOAD.
Tradução por Luiz Vieira, dezembro 2021.

English version: Fetish, Self-Induction, Stigma and Rôleplay
Traduction française: Fétiche, auto-induction, stigmatisation et jeu de rôle.
Traduzione italiana: Il feticcio, l’auto-induzione, lo stigma, il gioco di ruolo.
Tradução portuguesa: Fetiche, Auto-Indução, Estigma e Rôleplay.
Tlumaczenie polskie: Fetysz. Rytualy. Resocjalizacja: Tozsamosc przez stygmat. Autoindukowana schizofrenia. Odgrywanie ról.
По русски: Фетиш, самоиндукция, стигма и ролевая игра.


Veja também a fotografia de Aleister Crowley em uma Missa Gnóstica.





Traduções portuguesas

Peter-R. Koenig: Introdução à Ordo Templi Orientis.
P.R. Koenig: Os Espermo-Gnósticos e a Ordo Templi Orientis.
P.R. Koenig: Criação Extática de Cultura.
P.R. Koenig: A Aura do Fenômeno O.T.O.
P.R. Koenig: O Ambiente do Reich dos Templários — Os Escravos Servirão.
P.R. Koenig: Fetiche, Auto-Indução, Estigma e Rôleplay.
P.R. Koenig: Versão Jogo de uma O.T.O.–Fatamorgana.
P.R. Koenig: Carl Kellner Jamais um membro de qualquer O.T.O.
P.R. Koenig: Theodor Reuss: Avô da Sociedade Antroposófica?
Theodor Reuss: Programa De Construção E Princípios Orientados Dos Neocristãos Gnósticos O.T.O. 1920.
T. Reuss: I° Grau.
P.R. Koenig: Carl Willian Hansen – Dinamarca.
P.R. Koenig: The History of the O.T.O. in America.

Marcelo Ramos Motta: Ritual de Iniciação do Grau I O.T.O.
Marcelo R. Motta: Carta A Um Maçon.
  • Marcelo R. Motta: Lettre à un maçon brãsilien.
  • Marcelo R. Motta: Letter to a Brazilian Mason UNEXPURGATED.
  • Bibliographic Note and Addendum to "Letter to a Brazilian Mason by Marcelo Ramos Motta".
    Marcelo Ramos Motta to Karl Germer, July 2, 1954.
    Marcelo Ramos Motta about Paulo Coelho and others.
    Marcelo Ramos Motta: The Development of a Secret Society in America in the Years 1957-2000.

    P.R. Koenig: O Conquistador do Graal.
    P.R. Koenig: Uma O.T.O. no Brasil.
    Euclydes Lacerda de Almeida - Marcelo Ramos Motta - Kenneth Grant: Documentos 1966-1997.
    Marcelo Motta palavras com Euclydes Lacerda de Almeida, 18 de dezembro de 1973.
  • Translation of Marcelo Motta's tape to Euclydes Lacerda, dated 1973.
  • Euclydes Lacerda de Almeida: Marcelo Ramos Motta — Um Enigma.
    Claudia Canuto de Menezes: Conheci Marcelo Ramos Motta nos idos anos 70.
  • Claudia Canuto de Menezes: I met Marcelo Ramos Motta in the 70’s.
  • Euclydes Lacerda de Almeida: Emails to P.R. Koenig.
    Marcelo A.C. Santos: A Verdadeira História do "Califado" no Brasil.

    Kenneth Grant/Eugen Grosche: Manifesto da Ordem Interna "O.T.O." Orientis Britânia 1955.
    P.R. Koenig: Kenneth Grant e a O.T.O. Tifoniana.
    P.R. Koenig: Plano 93 do Espaço Exterior.
    Michael Staley: O.T.O. Tifoniana — Uma Breve História.
    Kenneth Grant: Concernente ao Culto de Lam.
    Michael Staley: Lam: O Portal.
    Michael Staley: Um Instrumento de Sucessão.
    Michael Staley: Ã Um Vento Ruim que Sopra ...
    Michael Staley: Lam Workshop.
    Simon Hinton: Sua totalidade na Mente.

    Fernando Liguori: Influência Tifoniana.
    Fernando Liguori: A Influência Tifoniana na O.T.O. Brasileira.
    Fernando Liguori: A Tradição Tifoniana.
    Fernando Liguori: Ritual da Estrela Nu-Isis.

    P.R. Koenig: In Nomine Demiurgi Saturni.
    P.R. Koenig: Saturno-Gnose: A Arte de Amar e Viver.
    Fraternitas Saturni: A apresentação solene do Anel de Loja.
    Walter Jantschik: Magia Sexual Licantrópica.
    Walter Jantschik: A Animação do GOTOS.
    Walter Jantschik: A Ordo Baphometis. Uma ordem mágica hermãtico-gnóstica.


    Michael Staley, 2003: "Não existe 'Typhonian O.T.O.' Brasileira; nem nada semelhante a isto. Ninguãm está autorizado a representá-la em nosso nome, ninguãm tem nossa benção. Todas e quaisquer alegações são fraudulentas."
  • Michael Staley, 2003: "There is no Brazilian 'Typhonian O.T.O.'; nor is there likely to be. No-one is authorised to act on our behalf, no-one has our blessing. All such claims are fraudulent."




  • Voltar para a página principal da O.T.O. Tifoniana    |    página de navegação    |    página principal    |    contato    |    O que existe de Novidade no site da O Fenômeno O.T.O.?

    Mais sobre isso em: Andreas Huettl e Peter-R. Koenig: Satan — Jünger, Jäger und Justiz





    Search Parareligion Website






     

           Reuss' Memphis Misraim Emblem

    LAM — Typhonian O.T.O.




    Secrets of the Rosicrucians, Templars and the Illuminati

    Secrets of the Rosicrucians, Templars and the Illuminati, Peter-Robert Koenig










    Clique aqui para voltar de onde você veio ou use esta Barra de Navegação Java:

    Memphis Misraim Carl Kellner Spermo-Gnostics The Early Years O.T.O. Rituals Ecclesia Gnostica Catholica Fraternitas Rosicruciana Antiqua Fraternitas Saturni Typhonian O.T.O. 'Caliphate' Pictures RealAudio and MP3 David Bowie Self Portrait Books on O.T.O. Deutsche Beiträge Charles Manson Illuminati