Os Espermo-Gnósticos e a Ordo Templi Orientis

Ordo Templi Orientis
Espermo-Gnósticos

Carl Kellner
Theodor Reuss
Aleister Crowley

Uma palestra de P.R. Koenig


                                  Sorry, your browser doesn't support Java(tm).

Um dia o universo despedaçou-se — devido a um aspecto feminino do Criador, ou devido a uma entidade intermédia entre o Divino e o Profano.
Aqueles que estão felizes com a sua situação no mundo, gozam de boa saúde e experimentam amor e satisfação nos seus campos de trabalho, parece não necessitarem do Gnosticismo que vem salvar o Universo, que, assim acredito, é uma ferramenta religiosa usada para lidar com uma vida insuportável.
O mago e o Gnóstico vivem em dois mundos ao mesmo tempo. Mas, enquanto o mago tenta usar o mundo além, para obter poder sobre este mundo aqui, o Gnóstico procura uma realidade divina, um reino dentro deste mundo, que é apenas uma espécie de mundo-sombra. Tanto o mago quanto o Gnóstico (tal como muitas outras tradições como a Hindu, Budista, Taoista e o Tantra) acreditam que a sexualidade pode ser a chave ou a porta para outras realidades; mas diferem no método, entre orientações ascéticas ou libertinas/sensuais: ambos usam a força sexual. O Gnosticismo é um conjunto variado de tradições que se sobrepôem e frequentemente se contradizem umas às outras. Nem todos os gnósticos são "espermo-gnósticos". Mas será sobre estes que agora falarei. Sumarizarei as complexas tradições gnósticas (apesar do assunto ser demasiado diversificado para qualquer pessoa o retratuar num curto ensaio), mas não a sua literatura, nem compararei a sua cosmologia em geral, nem a sua história; (1*) Irei também aos tempos actuais onde os modernos gnósticos provavelmente acham os dois mundos mais reais que os antigos gnósticos alguma vez acharam (2*)



Salvação

Ao viver num mundo que é sentido subjectivamente e encarado como um "lugar podre " (um termo gnóstico) o indivíduo grita por uma salvação. A forma como esta salvação começa é pelo corpo material. Ergue-se aos lugares mais altos (e. g. o plano emocional e o plano intelectual) até o homem atingir o seu lugar divino no Pleroma. Isto é o enchimento do seu ser até transbordar.

Este pleroma, esteja ele no homem ou algures no espaço exterior, é a outra parte do "apodrecido" lugar terrrestre. Dois caminhos podem ser seguidos para sair deste lugar podre: suprimi-lo ou evitá-lo (o conceito ascético); ou dissolver-se nele enquanto se vive completamente (o caminho sensual). Num plano superior isto sucede ao contrário. O caminho sensual conduz ao ascetismo homeopatico: enfraquecendo o mal enquanto se permite a sua existência, como uma necessidade. O gnóstico sensual abraça o pecado para experimentar a decadência do mundo, e para se erguer, como uma Fénix renasce das cinzas. As orgias sexuais são a exaltação do Pneuma/Logos que se ergue para o Pleroma. O caminho ascético reage alopaticamente; contra o veneno da existência usa a ignorância do corpo como um remédio (3*).

O termo que usei mais acima, "homeopatia", é usado surpreendentemente como um método relacionado com a forma ascética da vida Gnóstica. A homeopatia tem muito em comum com o Gnosticismo (4*). Tanto um como o outro método tendem a encarar o plano material como o menos importante para o homem. Ambos os conceitos procuram trazer de volta o homem/humanidade para um estado primitivo/arcaico de saúde/salvação. Este estado manifesta-se nos mais altos planos espirituais/divinos. Tanto a homeopatia quanto o Gnosticismo ensinam que a a cura e/ou a salvação acontece de Cima para Baixo e do Interior para o Exterior (o que nos lembra a Tábua da Esmeralda de Hermes Trismegistos dos maçons e Rosacruzes). Mas enquanto o Gnosticismo oferece a salvação/saúdeou pelo "Optimo através do Maximo" ou pelo "Optimo através do Minimo", a homeopatia segue o caminho do meio do balanço.

O ponto central dos Gnósticos ascéticos e sensuais está no seu conceito de Esperma. O Esperma contém o Santo Logos que, quando no Homem, tem de ser de novo levado ao Pleroma. (5*) Este facto implica duas questões:
1. Será que as mulheres podem ser salvas? e
2. o que é que podemos fazer com o esperma?



Os Misoginos

Talvez tenha sido devido à ganância do aspecto feminino da Entidade criadora que provocou a queda no profano, é o dever do Homem devolver ao Universo a sua integridade/compitude. No plano material, a mulher é punida com a grande ferida que tem entre as pernas. (6*) Esta ferida tem o significado do lugar ao qual o homem primitivo um dia esteve ligado ao seu aspecto feminino: o Andrógino perfeito, agora separado. É a vez do homem experimentar a luxúria que desfez o universo. A mulher tem que sofrer. Apenas o esperma do homem transporta o Santo Logos. As mulheres não têm próstata (7*) e portanto são supérfluas para a salvação do homem enquanto este não adquire a androginidade (8*). Se ele não tem "uso" para a fêmea então considera-a apenas um canal para as entidades divinas. Talvez veja algum uso no seu sangue menstrual? Quando é um gnóstico orientado pelo Cristianismo (chamemos-lhe o Gnóstico libertino), pode usar este sangue como o "Sangue de Cristo" e consumi-lo como um "alimento regilioso" Se ele vê o mundo como um lugar mesmo mau, evita ter filhos e evita comer carne (e aqui encontramos os vegetarianos). Um asceta evita as ejaculações, mesmo com a sua esposa, mas dirige as suas energias sexuais em práticas de Yoga para a sua cabeça (onde ele assume que está a ponte mais directa para o Divino). Para conseguir a Androginia, penetra a sua mulher, (evitando o orgasmo) para que ela também, possa beneficiar da sua sorte (9*).
O Yoga é uma das condições preliminares para dominar o corpo antes de o usar como um templo. Os ocidentais acreditam, erroneamente, que o Yoga é um sistema de exercícios físicos para manter o corpo em forma e a mente em paz. Mas o sentido da palavra Yoga é união e o sistema foi desenvolvido por adeptos orientais para os ajudar a atingir a união com a fonte de todo o ser.
All the Gnostic movements, be they the old ones or modern ones, assign salvation only to man: the woman has to become a man in order to enter heaven. (10*) The ascetic Gnostics avoid ejaculation and let the woman join in his wonderful ability to "produce" the Logos; the libertine Gnostics use all of the woman's gifts in order to sweat out the Pneuma.

Todos as correntes Gnósticas, sejam das antigas ou modernas, atribuem a salvação apenas ao homem: a mulher tem que se tornar um homem para entrar no céu (10*). Os Gnósticos ascetas evitam a ejaculação e deixam que a mulher se junte na sua capacidade maravilhosa de "produzir" o Logos; os gnósticos libertinos usam todas as dádivas femininas para "suar" o Pneuma.

Bom. As nossas duas perguntas 1. Será que as mulheres podem ser salvas? e 2. o que é que podemos fazer com o esperma?) não podem ser separadas. Apenas o esperma do homem oferece a salvação (11*) e a mulher tem que se tornar homem para ser salva (12*).

Que espermo-Gnósticos existem hoje em dia? Desde o virar do século, o grupo mais famoso organizou-se numa organização quase maçónica, chamada Ordo Templi Orientis, abreviadamente: O.T.O. (13*)



Ordo Templi Orientis

Os três protagonistas mais famosos da O.T.O. são: Aquele que deu o conceito/ideia, o Austríaco Carl Kellner (1851-1905); o fundador, o Alemão Theodor Reuss e o notório Inglês, Aleister Crowley (1875-1947). O leitor poderá encontrar as crenças e práticas de grupos da O.T.O. mais abaixo.
O Gnosticismo, nas suas diferentes formas é apenas uma das tradições que entra na simbologia da Ordo Templi Orientis, e nem todos os aspectos das várias correntes gnósticas são particularmente importantes. Estes Gnósticos Modernos (e os seus rebanhos) eram comedores de esperma. Atribuiam-no ao Santo Logos; e, pelo menos Reuss e Crowley, não gostavam de mulheres (14*). No entanto, enquanto a biografia de Reuss (15*) abriu a sua mente dualisticamente em caminhos ascéticos e libertinos como um meio de conseguir a salvação, a biografia libertina de de Crowley mostra um indíviduo cujo universo se foi tornando mais pequeno em cada dia, e cujo mundo era povoado de anjos e demónios, que não se dissolveram no último momento para que a Fénix pudesse renascer.


O Círculo Oculto, mais tarde reformado como O.T.O., sob o seu fundador: Carl Kellner, circa. 1895

Enquanto que Madame H. P. Blavatsky avisava que certos exercícios de Yoga não são sãos, sendo reprovados pelos "Mestres", Carl Kellner ensinava Hatha Yoga que incluía exercícios sexuais vindos das filosofias Samkhya, Addvaistas e de Franz Hartmann (1838-1912). Kellner estava especializado em meditações de Yoga que almejavam experimentar encarnações prévias (Yoga Sutra de Patanjali). A sua mulher era a Grande Deusa. Kellner actuava como um Sacerdote Babilónico. Em sua casa existia um quarto sem janelas onde os ritos tântricos tinham lugar para a preparação do Elixir, isto é: os fluidos masculinos e femininos (17*). A estrutura pseudo-templária/maçónica (introduzida aproximadamente por Theodor Reuss em 1903 e apenas designada de O.T.O. após a morte de Kellner em 1905) não era importante para Kellner que trabalhava no seu círculo sem o sistema da ordem. Não existem documentos que evidenciem que Kellner alguma vez tenha usado o termo "O.T.O". O seu círculo era chamado "O Triângulo Interno" e consistia de Kellner, Hartmann, Reuss e algumas mulheres.
Uma vez que Theodor Reuss mais tarde falou da "Fraternidade Hermética da Luz" (HBL) como a fonte central e secreta dos seus ensinamentos é fácil assumir que Kellner usava os métodos do seu protagonista P. B. Randolph que usava drogas para atingir a iluminação enquanto tinha relações sexuais. Randolph também ensinava técnicas de focar as energias sexuais sobre um desejo, uma espécie de fotografia interna que representa o desejo a ser realizado (18*) Existe uma história oral que afirma que Kellner foi um dos 12 co-fundadores da Fraternidade Hermética da Luz em Boston/Chicago, que então deu origem a um "ramo" alemão; mais tarde seria então o acima mencionado "Trângulo Interno".



A O.T.O. sob Theodor Reuss

Após a morte de Kellner em 1905, Reuss fundou um sistema da O.T.O que consistia de 7 graus pseudo maçónicos, que abriam os 7 Chakras, enquanto que os Graus mágicos do Grau VIII* e IX* eram dados sem qualquer ritual. O X* apenas designava o Líder do País.

Os papéis de Reuss que sobreviveram, mostram que este continuou os ensinamentos de Kellner mas também introduziu o Maniqueísmo (20*). O corpo inteiro era considerado divino (O Templo do Espírito Santo) e os orgãos sexuais deveriam executar uma função paricular: uma Missa Santa era o acto simbólico da re-criação do Universo (21*). A crença base era que apenas pela cooperação entre o homem e a mulher se poderia avançar espiritualmente. A união sexual é uma sombra do acto cósmico da criação. Executado por adeptos, a união do macho e da fêmea aproxima-se ainda mais do acto primordial e partilha da sua natureza divina, que é vista como contínua e continuada, e não como tendo acontecido uma vez na eternidade. Este ponto de vista é diferente do Cristianismo, que sustém que a criação do universo ocorreu num momento definido no passado. As sensações que se formam lentamente no Homem e na Mulher unidos sexualmente não vêm da conjunção das partes físicas, mas das polaridades masculinas e femininas em contacto. Padrões de respiração correctos afectam a química do sangue que provocam uma mudança no ambiente interno do cérebro. O ego consciente sai para dar lugar a um poder divino. As energias sexuais então armazenadas, juntamente com a respiração correcta conduzem à transmutação da energia e o Mago torna-se clarividente (em alemão "Seher")(22*).

Reuss não era muito a favor da masturbação (o VIII* grau, de acordo com Crowley) e designava-o de "Selbstpeinigung (provocar dor em si mesmo) e "widernatuerlich" (contra-natura) (23*) No entanto, ele via o Lingam (phallus) como um símbolo do criador do universo. Parece que Reuss trabalhou em linhas tantricas homosexuais (24*) ou pelo menos homoeróticas (carícias mútuas dos phali, (25*): o XI grau de acordo com Crowley) Mas o segredo central da sua Ordo Templi Orientis estava construído à volta do Parsifal de Richard Wagner. A lança tornou-se o phallus, enquanto o Graal era, claro, a vagina que continha o "Grals-speise" (o alimento do Graal, ou seja o esperma e os fluidos vaginais). O sistema da O.T.O. de Reuss estava formado sobre uma utópica sociedade comunitária em que a Mãe (com ligações à Maria cristã) tomava lugar central na vida social e sexual. Era designadade de Comunidade dos Neo-Cristãos (26*).



A O.T.O. sob Aleister Crowley

Após a morte de Reuss em 1923, Crowley fez uma empresa saída do segredo da O.T.O.. Existe um plano que sobreviveu para promover o "Elixir da Vida" (sob o nome "Amrita", o Remédio Mágico) (27*) e para curar doentes de acordo com métodos da O.T.O. (28*), isto é: curá-los com Yoga e fluidos sexuais (29*). Crowley usou a Ordo Templi Orientis (da mesma forma que usou outra ordens, reais, ou fantasmas) como uma peça ou uma editora e achou que a ordem era um instrumento apropriado para extrair o "ouro" (fosse este alquímico ou sexual) dos bolsos dos seus seguidores. Para esse efeito pretendia nunca ter feito sexo por prazer apenas (30*). Teria sempre sido um "dever", uma oração a Deus (Aiwaz, Baphomet ou Sheitan (31*) — há ainda mais disfarces); ou como uma oração a si próprio que a si se identificava como um pénis erecto.

A revelação do VIII* grau de Crowley mostra ao "aluno" que mastrubar-se sobre o símbolo de um demónio ou meditar sobre a imagem do Phallus traria o poder da comunicação com um (ou o próprio) ser divino/Super Ego. O IX* grau usava relações heterosexuais onde os segredos sexuais são sugados da vagina e quando não fossem consumidos (considerados sagrados) seriam postos num símbolo para atrair este ou aquele demónio que executaria o desejo ou ordem pertinente. (32*) No seu "Emblemas e Modos de Uso" (33*), Crowley descreve o método de espalhar esperma num talismã ou símbolo para atrair, por exemplo, dinheiro. Este documento é tão secreto que, numa dada altura, a sua posse era igual a ter o IX grau da O.T.O. Não havia outra prova até recentemente: agora é necessário passar um exame para provar a "posse"/"conhecimento" do IX grau da O.T.O. (34*)
Crowley jogou com diferentes métodos de magia sexual. Um dos segredos da O.T.O. é a adoração do ídolo Baphomet dos velhos Templários. Enquanto que o grupo derivado da O.T.O, a misógina Fraternitas Saturni tentou definitivamente (e continua a tentar) incarnar Baphomet na carne (35*), nos grupos da O.T.O. que emergiram após a morte de Crowley em 1947 o assunto não é muito claro. Crowley aconselhava a selecção de um parceiro feminino. O mago e a sua companheira "copulam continuamente" até que suceda a impregnação: um homunculo. (36*)

No XI grau, de teor maioritariamente homosexual (40*), o iniciado identifica-se com um pénis a ejacular (41*). O sangue (ou os excrementos) da relação anal, atraem os espíritos/demónios enqunto que o esperma os mantém vivos.
Crowley não via grande utilidade nos fluidos vaginais, nem pensava que as mulheres fossem divinas (42*) portanto não conseguia imaginar magia sexual entre lésbicas. Acreditava que o "homem é o guardião da Vida de Deus; a mulher apenas um expediente temporário; sem dúvida um templo para o Deus, mas não o Deus" ==> A Mulher existe para o uso do Homem. O seu ideal feminino "robusta, vigorosa, voluntariosa, sensivel, quente e saudável". Isto é: o seu interesse estava no corpo da mulher e não queria nenhuma participação espiritual ou intelectual vinda dela.
As ferramentas principais de Crowley para atingir a iluminação mantiveram-se: espermofagia, coprofagia e algolagnia.



Bispos Desviados

Entre considerar os deveres dos Eleitos Maniqueus (para concentrar a Luz, os restos luzentes quando o Logos spermatikos abandonou o homem, aprisionado na matéria por consumir tais alimentos) Crowley negou o aspecto ascético do maniqueísmo (que evitava as actividades que pudessem dispersar a Luz mas concentrou-se em construir um Corpo de Luz brilhante apropriado para regressar ao Reino Abençoado (37*)
Na sua Missa Santa, Crowley dá uma receita para usar o esperma e o sangue (38*) Para evitar a infecção pelo HIV, a O.T.O. americana (o dito "Califado" — fundado em 1997) recomenda que a hóstia seja cozida no forno a 160 graus Fahrenheit (39*) O IX grau toena-se uma paródia da Eucarístia Cristã com refinamentos e técnicas relacionados com o consumo do Elixir/Hóstia. A absorção deve ocorrer através da membrana mucosa do céu da boca, em vez de engolida porque o delicado invólucro proteico que rodeia a essência é destruído pelos ácidos do aparelho digestivo antes de integrar a simbiose mente-corpo. No caso da boca, existe apenas a actividade digestiva da saliva. Isto também afecta essa mesma proteína, quanto mais tempo for mantida na boca.

A "Igreja Gnóstica" do "Califado" também parodia a tradição Católica Romana ao introduzir os lugares de "Patriarca", "Arcebispo", "Bispo", "Noviço", "Sacerdote", "Sacerdotisa" e "Diácono" (os lugares de Padre e Diácono já aparecem na Missa Gnóstica de Reuss/Crowley de 1910. (21*)). Actualmente oferecem os serviços de Cerimónia de Baptismo de uma Criança, de um adulto, Confirmação, Ordenação de um Diácono, Casamento, Cerimónia da Grande Festa da Morte, um Exorcismo Básico) (actualmente parece haver um interesse crescente no exorcismo), Visitação e administração das virtudes aos doentes; têm uma lista de santos e [www.scarletwoman.org/soter/beastb.htm] Bençãos para os animais(43*).
Orações Cristãs aparecem no Ritual do V grau do "Califado": "A Litania do Santo Nome de Jesus", a Litania de São José" e a "Litania da Abençada Virgem Maria". Isto deve ser encarado como uma referência ao Magus do ÚLTIMO Eon, como uma recordação dos Grandes Ciclos que se constroem uns sobre os outros ...E também que o Verdadeiro Mestre não é o chamariz político que o Paulismo fez dEle. Estas orações (isto é, os rituais de iniciação) são acompanhados de música de Mozart, Holst, Strauss, Mahler e outros no mesmo género (44*).
Obviamente sem conhecimento da origem da Expressão "Bispos Vagueantes", alguns dos seus "bispos" entitulam-se "Bispos Fixos".



Clotted Chakras

A Ordo Templi Orientis era, e ainda é, uma parte secreta do submundo etnológico da civilização que procura a aceitação através da cultura vigente. No fundo desse fundo poço, está apenas uma boca cheia de esperma. Uma vez que este facto é demasiado simplista e talvez demasiado embaraçoso, está envolvido em demasiadas camadas de palavras e eufemismos. Enquanto que os antigos Gnósticos procuravam encontrar os aspectos técnicos de lidar com o esperma (evitando a ejaculação ou consumindo os fluidos sexuais, os Gnósticos modernos promovem inúmeras formas tradidionais se salvação, Ocidentais e Orientais, fora do espermo-Gnosticismo (45*); apenas para esconder o esperma no santuário interno da sua organização (46*) A tentativa de curar a brecha aberta no universo com sacrifícios, liturgias, cânticos e consagrações. Mas o mistério desviou-se em caminhos ínvios: há demasiado materialismo nos grupos da O.T.O.; e isto traz aquele que busca de volta à terra, e impede-o de se tornar um com o Divino. Após muitos anos a pagar as quotas de membro; e após ter compradoos livros dos seus adorados líderes; ou mesmo depois de saber o "segredo": o membro da O.T.O. pode descobrir por acidente ou experiência dolorosa que o esquema da salvação não lhe trouxe a Gnose . Porque a pseudo-maçónica Ordo Templi Orientis tem uma estrutura de graus de tal forma complexa (47*), que demora vários anos a completar e a pagar, e mistura as simples doutrinas Gnósticas de psicologia com todas as outras ferramentas religiosas e com as biografias dos seus líderes carismáticos ; a organização torna-se assim um "lugar intensamente podre". Comportamentos não fraternos entre os membros, egos inflados (48*), mentiras, jogos, subterfúgios e histeria; causam inúmeras separações , lutas internas e mesmo acções judiciais. Tudo isto junto pode tornar a O.T.O um lugar quase insuportável.
Os grupos da O.T.O derivados de Aleister Crowley estão cheios deste conceito de Thelema: um novo esquema para ordenar a História, Religião, Filosofia, Magia e a vida de todos os dias (49*) Vários membros da O.T.O. de Crowley não acham que o esperma transporta o Santo Logos (50*). Isto é originalmente considerado como uma incompreensão do processo da procriação. Com o avanço da ciência, assumem que tanto o macho como a fêmea são responsáveis pela procriação. No entanto seguem o sentido cabalístico da semente masculina como sendo o Logos a um certo ponto: a mulher funciona como uma "dadora de forma" (51*). As doutrinas Gnósticas são modificadas por Thelema como a doutrina da Verdadeira Vontade: todo o homem e toda a mulher tem um "motivo" para estar aqui; escolheram "descer" a este lugar podre, e têm uma missão a cumprir, que não esqueceram. A sua tarefa é, não apenas escapar, mas também lembrar-se porque vieram e executar essa função (52*) No entanto, Thelema em si, parece irradiar a decadência (53*).

Apesar de todas as facções de Grupos da O.T.O. serem também um "lugar podre", onde aquele que procura pode facilmente entrar no Pleroma; a Gnose não ocorre aí (54*) porque esses "lugares podres" transformaram lugares Gnósticos em ecrans de projecção psicológica, onde aquele que procura projecta a sua imagem do Santo Pai, i.e., Crowley. A revolução sexual de luxúria e Gnose deformou-se e degenerou em rupturas psicológicas. A Gnose transformou-se em Dia-gnose, que não traz nem salvação homeopática (sensual) nem alopática (ascética). E vice versa num plano inferior: apenas ascetas que praticam homeopatia (fora da O.T.O.) e quase-Gnósticos libertinos que praticam alopatia.



O esperma é um remédio homeopático?

O gnóstico e o homeopata tentam tentam trazer o homem de volta à sua ordem divina no/do universo. O Gnóstico procura a presença imeditat do Divino enquanto que o homeopata procura a ordem mais equilibrada do indivíduo dentro do universo divino. Hipócrates dizia que as doenças vêm dos deuses; isto é, vêm de cima; e que o mundo terrestre pode ser compreendido como um Deus ferido. Bom, alguns Gnósticos agora vêm o Esperma como um remédio para curar tudo. Devido a este facto, e também devido às minhas investigações no Fenómeno da O.T.O., conheci vários espermo-Gnósticos ascetas que praticam a homeopatia, tentarei agora discutir os aspectos homeopáticos da ingestão de esperma.

É opinião minha que, mesmo quando se procura o esperma como um veículo do Logos, este não pode ser usado como um remédio homeopático, devido às similitudes do remédio homeopático com as similitudes de um doente, é baseada na total e indivídual complitude dos sintomas e na peculiaridade de uma desordem/doença superior. O Logos, como um remédio homeopático iria, pela definição homeopática, possivelmente dissolver o Logos. Para que esse esperma possa actuar como remédio, deve primeiro tornar-se um remédio, o que não é uma substância. Deveria primeiro ser tratado de uma forma homeopática para tomar uma natureza diferente a um nível mais altoe poderia ter efeito na doença/desordem superior do paciente. Este método homeopático é designado de potenciação. A substância em si vai ser diluída muito para além do ponto em que os cientistas possam encontrar moléculas dessa matéria, sendo, ao mesmo tempo, o produto agitado ou batido. No momento presente, nenhum homeopata encontrou uma explicação científica para o facto, mas experiências médicas-homeopáticas que esta acção transforma uma substância material num estado de "cura", o que lembra, de certa forma, o conceito cristão da transubstanciação. Mas qual é o uso Gnóstico desta substância, uma vez que ela já contém em si o Logos? E o que fazer com todos os aspectos energeticos humanos, e. g., doenças como a sífilis ou a SIDA. O que pode ser causado por um virus HIV potenciado? É uma questão que não é respondida pelos cientistas homeopáticos.
Apesar de tudo conheci homeopatas que usam esperma da mesma forma que usam outras substâncias humanas; por exemplo, urina ou sangue ou agentes patogénicos. Mas o esperma como remédio homeopático não deve ser encarado como capaz de trazer o logos. O uso do esperma homeopático deve depender dos sintomas que o esperma (potenciado ou não) causaria num indivíduo "saudável". Estes efeitos secundários poderiam então ser usados para dissolver eventuais sintomas num "doente".
A questão levanta-se quanto à prática de alguns membros da O.T.O que cosem a hóstea composta por esperma e fluidos vaginais para destruir o HIV. Qual é o efeito do calor no Logos Gnóstico? Outros há que poêm o esperma numa dose de brandy, para o tornar mais saboroso. Spiritus Sanctus?
E que tal as mulheres que são obrigadas pelos seus homens a engolir o esperma (55*) Será que essas mulheres oprimidas não deveriam ser mais livres que os seus opressores? Será que essas mulheres não podem ser salvas? Ou devem tornar-se membros da O.T.O para saborear a salvação através do esperma?



E visto pelos olhos de uma mulher?: Linda Falorio (não é membro de nenhum ramo da O.T.O.) tirado do Anandazone!

"É um assunto complicado o significado do HIV. Do meu ponto de vista humano, não consigo ver nenhum benefício que esses invasores possam causar, seja no indivíduo ou na Obra. Penso que devem ser "banidos" da mesma forma que procedemos com uma esntidade que tente possessão, que é o que os retrovirus fazem, da forma como a compreendo, tomam conta das células para os seus próprios fins,... ou devem, pelo menos ficar contidos dentro do triângulo (i.e. o preservativo). Claro que então, o benefício dos fluidos psicosexuais não pde ser obtido nos mundo físico, mas apenas em planos mais subteis. Um mago poderoso consegue fazer isso, penso eu, mas necessitaria de uma pessoa igualmente dotada para perceber o que foi destilado.
Mas claro, levanto questões semelhantes sobre os benefícios relativos se se aplicam a homens que fizeram vasectomias ou mulheres que fizeram histerectomias, ou passaram da menopausa (56*) ... Então será necessário um sacerdote/sacerdotisa que não é necessário ser um dos operantes, para destilar o elixir no plano físico. Mas então, será que uma pessoa poderosa pode fazer com que o seu próprio corpo destile os fluidos endócrinos, mesmo que as glândulas sejam removidas?"

Setembro de 1996

Obviamente que a brecha no universo ainda está aberta. Os cristãos, como as outras religiões esperam uma espécie de um apócalipse ou lugar de salvação além deste mundo, além da fenda aberta entre o céu e a terra, para a qual os Gnósticos ascéticos e libertinos tentam construir uma ponte

Não é a última vez que ouviu falar dos espermo-Gnósticos ...


© P.R. Koenig, Julho de 1998 — Tradução Portuguesa: Andre Falcao


NOTAS:

  1. Algumas fontes Gnósticas: "Leohnard Fendt: "Gnostische Mysterien", ARW, Muenchen 1922/1980; Peter Sloterdijk: "Weltrevolution der Seele", I, Artemis, Muenchen 1991; J.P. Asmusen/A. Boehlig: "Die Gnosis", III, Artemis, Zuerich/Muenchen 1980; Robert Haardt: "Die Gnosis", Salzburg 1967; E. Haenchen/M. Kraus: "Die Gnosis", Artemis, Zuerich/Muenchen 1969; Wilhelm Bousset: "Hauptprobleme der Gnosis", Vandenhoeck + Ruprecht, Goettingen 1907; Kurt Rudolph: "Die Gnosis", Vandenhoeck + Ruprecht, Goettingen 1980; Hans Jonas: "Gnosis und Spaetantiker Geist", Vandenhoeck + Ruprecht, Stuttgart 1934; Johann Maier: "Vom Kultus zur Gnosis", Otto Mueller Verlag, Salzburg 1964; Elaine Pagels: "The Gnostic Gospels", Random House, New York 1979; Wolfang Schultz: "Dokumente der Gnosis", Matthes + Seitz, Muenchen 1986; Hans Leisegang: "Die Gnosis", Kroener, Stuttgart 1985; and many more
  2. R.L. Hubbard também chamava à sua Cientologia "gnosticismo", in: "False Purpose Rundown", 5th June 1984
  3. Peter Sloterdijk: "Weltrevolution der Seele" I, Artemis, Muenchen 1991, 19
  4. Fontes sobre a homeopatia: Georgos Vithoulkas: "Die wissenschaftliche Homoeopathie," Goettingen 1986; Marco Righetti: "Forschung in der Homoeopathie," Burgdorf-Verlag, Burgdorf 1988; J.T. Kent: "Zur Theorie der Homoeopathie, J.T. Kents Vorlesungen ueber Hahnemanns Organon", Leer 1954
  5. Por exemplo in: Robert Haardt: "Die Gnosis", Salzburg 1967, 66
  6. Ernst T. Kurtzahn (membro da O.T.O. de Theodor Reuss' OTO), in: "Die Gnostiker", Baumann-Verlag, Schmiedeberg 1925, 77-82
  7. Arnoldo Krumm-Heller (membro da OTO de Reuss): "Plantas Sagradas", Buenos Aires 1931, 72
  8. Arnoldo Krumm-Heller: "Iglesia Gnostica", Berlin 1931, 71
  9. Samael Aun Weor (membro do grupo de Krumm-Heller): "Buddha's Necklace" sem data nem lugar, 1-95
  10. Evangelho segundo São Tomé: "a menos que um homem se torne uma mulher e uma mulher num homem, não se pode entrar no Reino dos Céus". Portanto, nem todos os Gnósticos são Misíginos, apesar da era em que o Gnosticismo apareceu ser totalmente misógina.
  11. Ernst T. Kurtzahn membro da OTO de Theodor Reuss), in: "Die Gnostiker", Baumann-Verlag, Schmiedeberg 1925, 77-82
  12. Exemplo em: Kurt Rudolph: "Die Gnosis", Leipzig 1980 (2)
  13. Todos os rituals of Reuss pseudo maçónicos e da OTO de Crowley's estão publicados in: P.R. Koenig: "How to make your own McOTO", ARW, Muenchen 1996; Os Rituais de Crowley também estão in: Francis King: "The Secret Rituals of the O.T.O.", London 1973
  14. Crowley: "Está certo um homem suficientemente forte usar mulheres como escravas e objectos de prazer", "A mulher é uma criatura de hábitos, isto é, de impulsos solidificados. Não tem qualquer individualidade.", "A monogamia é um errro porque deixa o excesso de mulheres insatisfeita.", "Uma mulher é apenas tolerável na nossa vida se for treinada para ajudar o homem na sua obra sem qualquer referência a quaisquer outros interesses": "Confessions", editado por John Symonds/Kenneth Grant
  15. Ver: Ellic Howe/Helmut Moeller: "Merlin Peregrinus", Koenigshausen + Neumann, Wuerzburg 1986; detalhes também in P.R.Koenig: "Der Kleine Theodor Reuss Reader", ARW, Muenchen 1993; P.R.Koenig: "Das OTO-Phaenomen", ARW, Muenchen 1994; P.R. Koenig: "Der Grosse Theodor Reuss Reader", ARW, Muenchen 1997
  16. John Symonds: "The King of the Shadow Realm", London 1989
  17. Um sumário destas práticas pode ser encontrado in: Heinz Hunger: "Die Heilige Hochzeit", Wiesbaden 1984
  18. P.B. Randolph: "Magia Sexualis", Paris 1931/69; Elias McGregor (ed. Roberth North, 1988): "Magia Sexualis by P.B. Randolph"; Gordon J. Melton: "P.B. Randolph — America's Pioneer Occultist", Lyon 1992; Joscelyn Godwin:série de artigos in "Theosophical History" volume 2- 3, Fullerton 1988-1991; também David Board in: "Theosophical History" Volume 3, number 3, Fullerton 1990; e uma carta de Joscelyn Godwin, de 13 Outubro de 1994, reproduzida  in: P.R. Koenig: "Ein Leben fuer die Rose", ARW, Muenchen 1995
  19. Fontes: Reuss' magazine "Oriflamme", Bad Schmiedeberg 1902-1914; alguns manuscritos internos; e o investigador austríaco Josef Dvorak
  20. O Maniqueísmo considera o mundo material como "mau"; os "anjos" copulam com os "arcontes"para romper os "laços malignos", in: J.P. Asmussen/A. Boehlig: "Die Gnosis" 3, Artemis, Zuerich/Muenchen 1980
  21. Theodor Reuss na sua tradução da Missa Gnóstica de Crowley: "Die Gnostische Messe, Aus dem Original-Text des Baphomet, uebertragen in die deutsche Sprache von Merlin Peregrinus", Bad Schmiedeberg 1917; Facsimile in: P.R. Koenig: "Der Grosse Theodor Reuss Reader", ARW, Muenchen 1997
  22. Reuss: "Mysterica Mystica Maxima", in: "Jubilaeums-Ausgabe der Oriflamme 1912", Baumann, Berlin und London 1912, 23
  23. Reuss: "Parsifal und das Enthuellte Grals-Geheimnis", Bad Schmiedeberg 1920; o manuscrito anotado datado de 1914aparece transcrito in: P.R. Koenig: "Der Kleine Theodor Reuss Reader", ARW, Muenchen 1993
  24. Le Chevalier Le Clément de St-Marq: "L'Eucharistie", Bilsen 1906; fascimile reproduzido in: P.R. Koenig: "Der Grosse Theodor Reuss Reader", ARW, Muenchen 1997; Reuss achava que este panfleto continha o segredo central da O.T.O.: só o esperma contém o Logos: não é necessária a mulher.
  25. Wiener Freimaurerzeitung 9/10, Wien 1926, page 28; facsimile reproduzido in: P.R. Koenig: "Der Grosse Theodor Reuss Reader", ARW, Muenchen 1997
  26. Reuss: "Aufbauprogramm und Leitsaetze der Gnostischen Neo-Christen O.T.O.", Bad Schmiedeberg 1920; reproduzido in: P.R. Koenig: "Der Kleine Theodor Reuss Reader", ARW, Muenchen 1993
  27. A O.T.O. americana recém fundada, designada de "Califado", alegadamente "não pratica medicina" in: "Thelema Lodge Newsletter", Berkely, September 1993
  28. Crowley: "o uso industrial do Sémen vai revolucionar a sociedade humana", diario de 8 de Agosto de  1923
  29. Aleister Crowley: "Amrita", King Beach 1990; ver também: Gerald Yorke: "'Sex und der O.T.O.", in: "AHA" 6, Bergen an der Dumme, 1991
  30. "O parazer como tal nunca me atraiu. Deve sempre ser temperado com alguma satisfação moral", Aleister Crowley: "Confessions"
  31. Auto adulação: "graças a Aiwaz, nosso Senhor Deus o Diabo", "Canto por Deus, o nosso Senhor Aiwaz ", diary em 22 e 28 de Julho de 1920
  32. Essas instruções secretas foram publicadas por Francis King: "The Secret Rituals of the O.T.O.", London 1973
  33. Publicado in: "Mezla" I.111,1, Ithaca/NY 1985; on-line por William Breeze (presente "Califa" do "Califado" and "Patriarch" ao seu estilo da pertinente "Gnostic Catholic Church") em BaphoNet-by-the-Sea: 718/499-9277, June 1992; Gregory von Seewald: versão em panfleto do princípio dos anos 90, traduzida e anotada in: P.R. Koenig: "Der OTOA- Reader", ARW, Muenchen 1994
  34. "Como se faz o Elixir da Vida", "Quais são os usos do Elixir da Vida", alegadamente propostos por Phyllis Seckler, mas não em uso (comunicado por um membro de baixo grau do "Califado", em Julho de 1997)
  35. Discussão in: P.R. Koenig: "Ein Leben fuer die Rose", ARW, Muenchen 1995
  36. Facsimile desta instrução manuscrita de Crowley in: P.R. Koenig: "How to make your own McOTO", ARW, Muenchen 1996
  37. Thelema usa novas palavras encobertas para conceitos já existentes: O Pleroma Gnóstico em Thelema é designado de de "Nuit" de e para onde o esperma regressa como "Hadit". Apesar disso, William Breeze (o presente "Califa"): Na cosmogonia Thelemica não há nenhum pleroma como existe no gnosticismo. O lugar de Kether na Árvore da Vida está ocupado por Ra-Hoor-Khuit..., e pelo nosso eu silencioso, o nosso Jechidah em termos Qabalísticos, o nosso Santo Anjo da Guarda" "The Magical Link", nova série 1, Outono (Dezembro!), Stockholm 1997, 9. Mais uma vez, Onde está o gnosticismo em Thelema?
  38. Nada de novo: Já tinha sido descrito in: Carl Schmidt: "Koptisch-Gnostische Schriften", Volume 1, Leipzig 1905 (4th edition Berlin 1981) (contendo a primeira tradução do "Pistis Sophia"); também descrito por Epiphanius, in: "Panarion", in: Robert Haardt: "Die Gnosis", Salzburg 1967; E. Hanechen/M. Krause: "Die Gnosis" 1, Artemis, Zuerich/Muenchen 1969. Crowley também tinha a sua versão: "Na minha Missa, a Hóstia é feita de excremento", diário em 5 Julho de 1920
  39. "Magical Link" I;5, New York 1987; "Thelema Lodge Newsletter", Berkeley, January 1991
  40. Crowley: "Estou inclinado a considerar que o XI* grau é melhor que o IX*", diário em 26 Agosto de 1916
  41. Crowley também imaginava os homens como "Pegas Escarlates" enquanto se masturbava (diário, 16 November 1914) ("Mulher Escarlate... é qualquer mulher que reçeba e transmita a minha Palavra Solar e o meu Ser Solar", in Crowley: "Magical and Philosophical Commentaries", editado por John Symonds/Kenneth Grant, Montreal 1974, 307)
  42. Crowley: "Liber Agape" (in: P.R. Koenig: "How to make your own McOTO", ARW, Muenchen 1996), and Crowley: "De arte Magica"
  43. "Estes rituais parecem uma paródia do Cristianismo e do Catolicismo. Claro que a benção de animais pode ser esperada num país em que psiquiatras de animais de estimação ganhem mais dinheiro que engenheiros. Ma e se se um animal tiver algumas convicções religiosas? Será que animais não Thelemicos (como se pudesse haver uma ortodoxia Thelémica) podem ser: gatinhos pagãos, Hamsters heréticos, Cães demoníacos? Será que essa gente tem tanto tempo à sua disposição para impor a sua religião aos animais?
    As cerimónias de baptismo e confirmação podem atrair facilmente adoradores. Estas pessoas, dificilmente serão membros produtivos de qualquer ordem Thelémica. Este tipo de gente perde muito tempo a proclamar como tiveram uma revelação espiritual durante este tipo de cerimónias. Se calhar é útil ter este tipo de rituais para manter as massas felizaes, mas não creio que contribuam para o trabalho que há em mãos (Great Work, "Knowledge & Conversation of the Holy Guardian Angel", whatever)."
    Stephen L***, 2 de Julho de 1998
  44. III-1 O.T.O. Rituais do Homem da Terra Rev. 4.2B, Outono IIIxxx", por Fr. H.K. Kapellmeister, OTO, New York 1990, 1
  45. Um ponto importante na colecção de palavras chave de Crowley parece ser que não há necessidade de salvação, à primeira vista. Deus est Homo. Deus é o Homém, quem creavit Elhoim. Isto parece ser uma expansão gnóstica de Psique: aqueles que adoram, tornam-se aqueles que são adorados
  46. Reuss e outros líderes da OTO, bem como William Breeze, cabeça do "Califado", consideram que apenas os membros do VIII* para cima são "verdadeiros membros da OTO". O VII* grau é a fronteira para a magia sexual/espermo-gnose. Esquema da Ordem in: P.R. Koenig: "Materialien zum OTO", ARW, Muenchen 1994, 22-23
  47. Existem grupos da O.T.O. sem qualquer estrutura maçónica
  48. Por exemplo, William Breeze, cabeça do "Califado" e auto proclamado OHO (alegadamente o líder mundial da "verdadeira" OTO), designa-se a si mesmo de "Sua Magestade Sagrada"
  49. "Significa deslocar o centro de gravidade da Raça Humana", diario de 6 de Agosto de 1923
  50. O Pleroma Gnóstico é designado "Nuit" de e para onde onde o esperma regressa como "Hadit"
  51. Polaridade de Chokmah (a inteligência iluminante) e Binah (a inteligência santificadora)
  52. Correspondência entre o autor e David Scriven, o representante do chefe do "Califado" para os Estados Unidos, em Novembro de 1996
  53. Crowley: "Eu sou a Besta... Eu sou Thelema", (diario em 22   de Outubro de 1920), "Preciso que as coisas estejam podres para trabalhar", (diário em 1 de Junho de 1920)
  54. O "Califado",por exemplo, pode ser encarado como uma empresa burocrática que tenta manter os copyrights de Aleister Crowley; or como um clube vulgar sem qualquer espiritualidade como foi descrito um ex-líder da ordem. Um membro dirigente actual admite que a Verdadeira Gnose não pode ser conferida a uma pessoa por qualquer outra pessoa ou organização (D. Scriven, Novembro de 1996),ver também o prefácio em alemão ao meu "Ecclesia Gnostica Catholica" (Muenchen 1998)
  55. NÃO falo de membros da O.T.O. aqui, mas de qualquer mulher violentada
  56. O exame do alegado "Caliphate"para o IX* grau (ver nota 34) foca as "condições físicas" para a magia sexual, o que levanta o problema das pessoas com deficiência serem membros de organizações que pratiquem magia sexual.



Tradução Portuguesa

Peter-R. Koenig: Introdução à Ordo Templi Orientis
P.R. Koenig: Os Espermo-Gnósticos e a Ordo Templi Orientis
P.R. Koenig: Criação Extática de Cultura
P.R. Koenig: A Aura do Fenômeno O.T.O.
P.R. Koenig: Carl Kellner Jamais um membro de qualquer O.T.O.
P.R. Koenig: Theodor Reuss: Avô da Sociedade Antroposófica?
Theodor Reuss: PROGRAMA DE CONSTRUÇÃO E PRINCÍPIOS ORIENTADORES DOS NEOCRISTÃOS GNÓSTICOS O.T.O. 1920
Reuss: I° Grau
P.R. Koenig: Carl Willian Hansen – Dinamarca
P.R. Koenig: The History of the O.T.O. in America
P.R. Koenig: Uma O.T.O. no Brasil
Marcelo Ramos Motta: Ritual de Iniciação do Grau I O.T.O.
Marcelo Motta: Carta A Um Maçon
Marcelo Ramos Motta: Letter to a Brazilian Mason UNEXPURGATED
Bibliographic Note and Addendum to "Letter to a Brazilian Mason by Marcelo Ramos Motta"
Marcelo Ramos Motta to Karl Germer, July 2, 1954
Marcelo Ramos Motta about Paulo Coelho and others
Marcelo Ramos Motta: The Development of a Secret Society in America in the Years 1957-2000 e.V.
Marcelo Motta palavras com Euclydes Lacerda de Almeida, 18 de dezembro de 1973
Translation of Marcelo Motta's tape to Euclydes Lacerda, dated 1973 e.v.
Euclydes Lacerda de Almeida: Marcelo Ramos Motta — Um Enigma
Claudia Canuto de Menezes: Conheci Marcelo Ramos Motta nos idos anos 70
Claudia Canuto de Menezes: I met Marcelo Ramos Motta in the 70’s
Euclides Lacerda de Almeida: Emails to P.R. Koenig
Marcelo A.C. Santos: A Verdadeira História do "Califado" no Brasil
Kenneth Grant/Eugen Grosche: Manifesto da Ordem Interna "O.T.O." Orientis Britânia
P.R. Koenig: Kenneth Grant e a O.T.O. Tifoniana
P.R. Koenig: Plano 93 do Espaço Exterior
Michael Staley: O.T.O. Tifoniana — Uma Breve História
Kenneth Grant: Concernente ao Culto de Lam
Michael Staley: Lam: O Portal
Michael Staley: Um Instrumento de Sucessão
Michael Staley: É Um Vento Ruim que Sopra ...
Michael Staley: Lam Workshop
Simon Hinton: Sua totalidade na Mente
Fernando Liguori: Influência Tifoniana
Fernando Liguori: A Influência Tifoniana na O.T.O. Brasileira
Fernando Liguori: A Tradição Tifoniana
Fernando Liguori: Ritual da Estrela Nu-Isis (LSA)
P.R. Koenig: In Nomine Demiurgi Saturni
P.R. Koenig: Saturno-Gnose: A Arte de Amar e Viver
Fraternitas Saturni: A apresentação solene do Anel de Loja
Walter Jantschik: Magia Sexual Licantrópica
Walter Jantschik: A Animação do GOTOS
Walter Jantschik: A Ordo Baphometis. Uma ordem mágica hermético-gnóstica


Michael Staley, 2003: "There is no Brazilian "Typhonian O.T.O."; nor is there likely to be. No-one is authorised to act on our behalf, no-one has our blessing. All such claims are fraudulent."
Kenneth Grant's official statement "Concerning New Isis Lodge O.T.O.", dated October 1999.
Michael Staley, 2003: "Não existe "Typhonian O.T.O." Brasileira; nem nada semelhante a isto. Ninguém está autorizado a representá-la em nosso nome, ninguém tem nossa benção. Todas e quaisquer alegações são fraudulentas."



This article was a speech delivered for C.E.S.N.U.R. at the University of Rom in 1995 and at the Crowley-Congress at Cefalú in 1997

Secrets of the O.T.O. — A Summary.

para a página principal sobre a Ecclesia Gnostica Catholica

Fenômeno O.T.O.   página principal    |    página de navegação    |    A Aura do Fenômeno O.T.O.    |    correspondências


sitemap advanced
Search the O.T.O. Phenomenon Website


 






Click here to go back to where you came from or use this Java Navigation Bar:

Memphis Misraim Carl Kellner Spermo-Gnostics The Early Years O.T.O. Rituals Ecclesia Gnostica Catholica Fraternitas Rosicruciana Antiqua Fraternitas Saturni Typhonian O.T.O. 'Caliphate' Pictures RealAudio and MP3 David Bowie Self Portrait Books on O.T.O. Deutsche Beiträge Charles Manson Illuminati